Área do Associado
Lembrar Login

Notícias

'O Brasil não suporta mais corrupção', declara o presidente da Ajufe em ato público de desagravo ao juiz Marcelo Bretas

25/08/2017
Tamanho fonte: A+ A- A
Luísa Pontes - AJUFERJES
Luísa Pontes - AJUFERJES

 

Magistrados de todo o país, além de membros do Ministério Público, juristas, servidores e artistas participaram do ato público de desagravo ao juiz federal Marcelo Bretas, promovido pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) e a Associação dos Juízes Federais do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, nessa quinta-feira (24), no Rio de Janeiro.


Durante o ato, o presidente da Ajufe, Roberto Veloso, agradeceu a participação dos presentes e homenageou Bretas, que foi aplaudido pelo público. “Essas palmas significam o apoio que a população brasileira dá a vossa excelência e também às operações que estão em curso contra a corrupção. O Brasil não suporta mais corrupção”, declarou Veloso.


Os presentes defenderam a atuação do juiz Marcelo Bretas e a independência do Poder Judiciário. O ato ocorreu após declarações do ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que criticou a decisão judicial de Bretas, que prendeu dois empresários acusados de envolvimento num esquema de corrupção no sistema de transporte do Rio de Janeiro.

 

Roberto Veloso ainda destacou que é preciso defender o Poder Judiciário, que vem sendo amplamente atacado. “Querem enfraquecer o Judiciário. Quando nós vemos atitudes como essa do ministro Gilmar Mendes, atacando um juiz de primeiro grau, ela faz parte de um conjunto de atitudes que estão sendo gestadas no parlamento contra a independência judicial, uma delas é a questão da lei do abuso de autoridade”, afirmou.


O presidente da Ajufe também afirmou que o PL 85/20176, da lei de abuso de autoridade, e o PLS 141/2015, que criminaliza a violação de prerrogativas dos advogados, são tentativas de retaliação e intimidação da magistratura. Roberto Veloso ainda citou os ataques recentes à campanha de recomposição salarial da categoria e manifestou indignação. “Existem abusos, e se existem abusos de juiz recebendo além do teto, esses abusos devem ser coibidos. Mas isso, lhes garanto, não acontece na Justiça Federal. Na Justiça Federal recebemos todos abaixo do teto constitucional do Supremo Tribunal Federal. Nós nos indignamos com essa campanha que generaliza, tentando colocar todos no mesmo balaio”, declarou.


“Nós estamos realizando esse ato de desagravo porque cansamos de emitir notas contra as atitudes do ministro Gilmar Mendes. As notas já não bastavam para tamanhas manifestações de desapreço ao poder que ele mesmo faz parte. Estamos realizando esse ato para mostrar ao ministro e a todos aquilo que está escrito em nosso hino: Verás que um filho teu, Brasil, não foge à luta. Esperamos e cremos que a ministra Cármen Lúcia defenda o Judiciário”, finalizou o presidente da Ajufe.


Além de representantes da Ajufe e do juiz federal Marcelo Bretas, participaram do ato o presidente da Ajuferjes, Fabrício Fernandes, servidores, advogados, membros do Ministério Público, populares, artistas da música, novela e teatro.

 


Clique e assista ao vídeo completo do ato público!